O que são cidades inteligentes?

Pelo sexto ano consecutivo, o Instituto de Estudos Superiores da Empresa (IESE) Business School, da Universidade de Navarro, na Espanha, divulgou o Cities Motion Index, um ranking para classificar as cidades mais inteligentes do mundo. Em 2019, Londres, a capital do Reino Unido, ficou no topo da lista.

Mas se formos considerar toda a complexidade que envolve uma cidade inteligente, vamos perceber que ainda estamos dando os primeiros passos.

O que são cidades inteligentes?

Uma cidade inteligente é uma estrutura, predominantemente composta de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), para desenvolver, implantar e promover práticas de desenvolvimento sustentável para enfrentar os crescentes desafios da urbanização. Grande parte dessa estrutura de TIC é essencialmente uma rede inteligente de objetos e máquinas conectados que transmitem dados usando a tecnologia sem fio e a nuvem.

Os aplicativos de IoT baseados na nuvem recebem, analisam e gerenciam dados em tempo real para ajudar municípios, empresas e cidadãos a tomar decisões que melhoram a qualidade de vida.

Os cidadãos se envolvem com os ecossistemas das cidades inteligentes de várias maneiras, usando smartphones e dispositivos móveis, além de transportes e residências conectados. O emparelhamento de dispositivos e dados com a infraestrutura e os serviços físicos de uma cidade pode reduzir custos e melhorar a sustentabilidade.

As comunidades podem melhorar a distribuição de energia, otimizar a coleta de lixo, diminuir o congestionamento do tráfego e até melhorar a qualidade do ar com a ajuda da IoT.

O que torna uma cidade inteligente?

As cidades inteligentes colocam dados e tecnologia digital para trabalhar para tomar melhores decisões e melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Conectividade

A conectividade é um elemento fundamental para as cidades inteligentes. Com uma rede robusta de aplicativos e dispositivos conectados por meio de uma infraestrutura habilitada para IoT, as autoridades locais estão transformando cidades concretas em inteligência artificial e sensores, convergindo mundos físico e virtual.Por exemplo, o projeto Cities of Tomorrow, em Cingapura, aborda as principais áreas como ecossistemas urbanos, eficiência de energia e recursos com sistemas inteligentes alimentados por análise de dados e diagnóstico preditivo.

Soluções inteligentes de energia

Cidades inteligentes tornam seu consumo de energia mais eficiente, confiável e ecológico com a ajuda da tecnologia. Elas possuem redes inteligentes bem conectadas em rede, que não apenas reduzem o consumo de energia, mas também o tornam mais econômico. A integração dos sistemas de IoT, automação e gerenciamento de resposta à demanda em tempo real é a chave para a preservação de energia.

Mobilidade

O projeto da planta das cidades inteligentes visa construir uma infraestrutura conectada com ativos físicos ativados por sensor que podem gerar dados para a otimização dos fluxos de tráfego. Isso inclui modos de transporte conectados, rede rodoviária moderna e soluções inteligentes de transporte e gerenciamento de tráfego.
As cidades inteligentes implantam soluções de IoT para gerenciamento dinâmico de tráfego e para agilizar o movimento dos passageiros, fornecem dicas sobre o melhor momento para viajar e alertas sobre o espaço de estacionamento disponível mais próximo.

Outro exemplo de tecnologia presente em uma cidade inteligente são os pagamentos no transporte público via cartões NFC — Near Field Communication, na sigla em inglês —, aqueles realizados por aproximação do cartão de crédito ou outro dispositivo móvel. Um estudo realizado pela Visa, intitulado “Cashless cities: Realizing the Benefits of Digital Payments”, faz uma análise do uso, aceitação e impactos no custo-benefício do dinheiro físico versos o dinheiro digital em todo o mundo.

Mobilidade inteligente

As tendências recentes da revolução da mobilidade inteligente também revelam um interesse cada vez maior em tecnologia autônoma, com as maiores oportunidades de investimento nas seguintes áreas:

A perspectiva da mobilidade inteligente é realmente uma visão ousada, que requer parcerias estratégicas entre governo e empresas, tanto em termos de estruturas regulatórias quanto tecnológicas.

Com vários projetos crescendo em todo o planeta, o futuro das cidades inteligentes está acontecendo agora. Desde o avanço da IoT, a revolução 5G, a mobilidade autônoma, a instalação de energia renovável e a assistência médica com IA, serviços públicos e análises avançadas de dados, as cidades estão mudando e as pessoas estão mudando com elas.

Não precisamos ir muito longe para entender a capacidade dessas tecnologias na organização do transporte público em uma cidade inteligente. Pense, por exemplo, em situações de calamidade pública, como a que grandes cidades no mundo todo estão enfrentando para a contenção da COVID-19. A partir de dispositivos IoT e análise de big data seria possível usar parte dessas informações para montar ações estratégicas por meio do mapeamento das áreas e do fluxo de pessoas.

Quer conhecer um pouco mais sobre as tecnologias presentes em uma cidade inteligente? Que tal começar pelas APIs? Confira este artigo!

Brasil