ABT: o que você precisa saber sobre esse novo modelo

Os passageiros que usam transporte público esperam cada vez mais uma experiência de viagem perfeita, independentemente da rota que fazem ou da frequência com que usam o serviço.

No mundo ideal do futuro, o usuário imagina ter fácil acesso ao modal de transporte público mais conveniente a qualquer momento, sem ter que se preocupar em encontrar a melhor oferta de passagens ou descobrir onde um bilhete pode ser usado ou não. Reduzir a complexidade do uso e da gestão dos tickets de transporte urbano é a essência do que torna o ABT — Account Based Ticketing — tão bom para operadores como para usuários.

Vamos falar um pouco sobre como esse modelo promissor, que ainda está dando os primeiros passos, funciona e citar algumas de suas vantagens.

O que é ABT?

O ABT é um modelo de pagamento de transporte baseado em contas em que o crédito, as regras de tarifação e as transações acontecem em uma estrutura de backoffice na nuvem.

Nesse modelo, cada passageiro tem uma conta de usuário com informações de cadastro. A mídia, nesse caso, passa a ser apenas um identificador, que pode estar atrelado a um cartão, um smatphone ou qualquer wearable.

Também é no backoffice que acontecem as transações de crédito, quando o usuário adquire saldo para utilizar no transporte, e de débito, no momento do pagamento pelo serviço. Ou seja, o direito de viajar é gerenciado pelo backoffice da plataforma central, que funciona como um centralizador das informações.

A segurança é um aspecto fundamental tanto para proteger as contas dos usuários quanto para garantir a integridade das transações. Isso representa uma mudança muito grande para as operações de transporte, já que estamos falando de padrões de segurança no nível de transações bancárias.

Quais os benefícios dessa modalidade para operadores de transporte?

O ABT envolve uma mudança fundamental da lógica de negócios dos dispositivos de frontoffice para o backoffice, em que a infraestrutura é mais barata e mais fácil de configurar e manter. Isso fica claro quando pensamos nos benefícios a seguir.

Dados em tempo real

Os sistemas convencionais baseados em cartão que operam offline não sincronizam dados em tempo real. Isso significa que o operador não consegue acessar informações sobre transações, validações e inspeções simultaneamente. Por outro lado, como a essência do ABT é baseada no universo online, ele fornece dados em tempo real, proporcionando uma melhor visão para análises e atendimento ao cliente.

No Brasil, devido à instabilidade dos serviços de infraestrutura de comunicação de dados, as iniciativas para sistemas ABT tratam também de contingências para transações offline em áreas ou períodos de sombra.

Melhores experiência e serviço ao cliente

A implementação do ABT fornece uma abordagem de conta única. Isso significa que todas as informações sobre um cliente estão vinculadas a uma conta ou ID específica. Nessa abordagem, as informações são mais fáceis de serem obtidas e vistas pelo usuário final e passam a estar mais acessíveis para os operadores. Especialistas em transporte no mundo inteiro acreditam que no futuro o ABT será a base da integração multimodal, entregando alto nível de flexibilidade para o usuário, que poderá utilizar uma única conta para acessar o serviço, independentemente do modal.

Flexibilidade tarifária

Como no ABT as regras são parte da aplicação de backoffice e os validadores estão online, os operadores ganham flexibilidade para criar ou substituir modelos de tarifação. Isso possibilita, por exemplo, a criação de tarifas dinâmicas de acordo com os objetivos do negócio, sem ter que passar por processos longos e complexos.

Menor custo operacional

Talvez o principal benefício de um sistema ABT seja a sua capacidade de permitir a redução de custos operacionais com a emissão de cartões, graças à abordagem centralizada na nuvem, que independe da mídia e concentra todas as informações.

Isso, por sua vez, possibilita a utilização de mídias com custos mais acessíveis, desde que atendam aos padrões de segurança do mercado — ou até mesmo com custo zero, já que os usuários podem usar o próprio celular para realizar as transações.

Rede de venda na mão do usuário

Como o sistema baseado em conta não requer hardware dedicado para gravar dados no cartão, é mais fácil expandir e gerenciar a rede de vendas. O ABT fornece integrações de API para plataformas de venda de crédito, como ATM, POS e outros. Essa é uma maneira fácil de expandir a rede de vendas sem equipamento dedicado adicional, pois não há necessidade de ler ou gravar dados nos cartões.

O ABT pode transformar o futuro do transporte urbano

As possibilidades que o sistema ABT oferece são muitas, e muitas delas ainda desconhecidas. Mas uma certeza é que o ele veio para transforar a experiência do cliente, colocando-o no centro da mobilidade urbana. Um modelo em que a Empresa 1 investe e acredita.

Em Fortaleza (CE), por exemplo, a migração das contas dos usuários para nuvem e o modelo de integração vão permitir que os usuários possam pagar com cartão do transporte público – que deixa de carregar o crédito e passa a ser um identificador – o serviço de transporte sob demanda operado em uma plataforma de outro fornecedor. Isso é integração multimodal na prática.

Como falamos no início deste artigo, o modelo ABT ainda está no começo. Estamos falando de uma poderosa solução que vai trazer mudanças no modelo de cobrança tradicional para viabilizar tarifas mais competitivas e atraentes baseadas no perfil de uso do cliente do transporte público.

E já que estamos falando sobre o futuro do transporte, aproveite sua visita em nosso blog e entenda também o conceito de MaaS — Mobilidade como Serviço.

Brasil