Como o modelo “tudo como serviço” está transformando o mundo dos negócios

Muitas organizações estão reorientando seus recursos de negócios e abordando produtos, ofertas e processos como uma coleção de serviços que podem ser usados ​​dentro e fora dos limites organizacionais.

Essa nova modalidade de entrega de soluções é chamada de “tudo como serviço”, e pode ser considerada um plano estratégico e operacional que, em pouco tempo, vai melhorar os modelos de negócios, além de redefinir os objetivos fundamentais da transformação digital, inclusive quando falamos de mobilidade urbana.

Entendendo o conceito de “tudo com o serviço”

Tudo como serviço — do inglês Everything-as-a-Service, ou XaaS — é um termo que tem origem na computação em nuvem e dá significado para uma variedade de serviços e aplicativos acessados ​​sob demanda pela Internet, em vez de serem acessados ​​no local.

Até aqui, talvez as primeiras perguntas sejam: está tudo bem em dizer que o XaaS incorpora “tudo”? Mas o que exatamente tudo significa? Primeiro, o XaaS não se limita à tecnologia, e o que começou como uma revisão de sistemas legados aumentou para oferecer melhores eficiências de negócios, envolvimento do cliente e supervisão de funcionários usando métodos atualizados.

O XaaS também está redefinindo muitos dos objetivos básicos da modernização porque, em vez de ter as várias funções operando em silos, as empresas agora podem configurá-las como uma coleção de serviços horizontais que estão disponíveis através dos limites organizacionais. Isso significa que interfaces de programação de aplicativos (APIs)  adequadas podem ser usadas por vários departamentos de uma empresa, entre outras coisas.

As principais modalidades ofertadas como serviço

O modelo de negócios XaaS está criando inúmeras novas oportunidades para empresas de diferentes segmentos e é composto basicamente por 5 grandes elementos: processos de negócios, nuvem, segurança, infraestrutura, aplicativos e plataformas. A seguir, falamos um pouco sobre as principais modalidades ofertadas como serviço.

Infraestrutura como serviço (IaaS)

Infraestrutura como serviço é quando o provedor de serviços fornece o hardware e o equipamento pré-configurados necessários para executar o sistema de TI da sua empresa. Dessa forma, você aluga o uso do hardware em vez de o possuir, e o provedor de serviços assume a responsabilidade pela operação e manutenção efetivas do equipamento.

Plataforma como serviço (PaaS)

A plataforma como serviço aumenta um nível acima do IaaS, fornecendo a infraestrutura de  e os aplicativos da Web de que as organizações precisam. O uso desse tipo de serviço significa que as empresas geralmente podem economizar no custo de adquirir esses aplicativos e eliminar o ônus de implantá-los ou gerenciá-los.

Software como serviço (SaaS)

Talvez o termo mais conhecido, software como serviço é essencialmente um software facilitado. Os provedores de serviços oferecem uma variedade de aplicativos sob demanda, como ERP (Enterprise Resource Planning), RH, CRM (Customer Relationship Management), folha de pagamento e aplicativos de produtividade como o Microsoft Office. Usuários assinantes de SaaS podem acessá-los facilmente por meio de um navegador da Internet.

A mobilidade como serviço (MaaS)

Ainda nos estágios iniciais de adoção, o MaaS representa uma mudança emergente dos modos de transporte e em direção às opções que são consumidas como um serviço. O conceito é um modelo de distribuição de transporte sob demanda, onde uma única plataforma digital oferece aos passageiros a conexão mais eficiente e perfeita do ponto A ao ponto B, combinando e coordenando vários modos de serviços de transporte.

Esses modos incluem, entre outros, rotas fixas, viagens de carona e compartilhamento de viagens sob demanda, táxis, bicicletas e scooters e muitos outros . Modalidades usadas para atender distâncias menores, ou os trajetos complementares, conhecidos como primeira e última milha.

Embora a indústria ainda esteja trabalhando na mecânica de um sistema MaaS totalmente funcional, temos uma ideia do que esperar. Idealmente, um passageiro usaria um aplicativo móvel para reservar e pagar por toda a viagem — o modelo ABT faz todo sentido aqui.

Os passageiros teriam a opção de pagar por viagem ou assinar um plano que lhes permitisse um número específico de viagens por mês, dependendo dos termos definidos. Depois que uma viagem é reservada, a plataforma trabalha automaticamente para rotear os melhores modos de transporte, de acordo com as preferências do passageiro, para chegar ao destino final.

Há um longo caminho pela frente antes que o MaaS se torne comum. Mas, como as cidades procuram resolver problemas que acompanham o crescimento e o desenvolvimento, os operadores de transporte e fornecedores de software devem trabalhar juntos para fornecer uma solução.

Como você pôde ver, o modelo XaaS permite que empresas de vários setores aprimorem a agilidade dos seus sistemas, introduzam soluções eficientes, otimizem o ROI, controlem o tempo de inatividade, melhorem a produtividade e descubram como as opções mais recentes da nuvem podem ajudá-las a serem mais inovadoras.

Quer conhecer um pouco mais sobre a MaaS? Continue no nosso blog e leia também o artigo Mobilidade como serviço: entenda o que é o MaaS!

Brasil