Qual a melhor modalidade de pagamento para oferecer ao cliente do transporte público?

Os modelos tradicionais de pagamento da tarifa do transporte público (dinheiro ou cartão sem contato) estão perdendo espaço para alternativas que podem salvar a competitividade do negócio. A possibilidade de trazer a tecnologia como recurso para diminuir a complexidade e o custo operacional da operação chega em boa hora.

Na era digital, o poder foi transferido das mãos de quem oferta para as mãos de quem compra. E os consumidores nunca tiveram tantas opções para se mover pela cidade, podendo escolher inclusive formas mais práticas de pagar pelo serviço.

 

Deixe o cliente escolher sua modalidade de pagamento

Quando falamos de investimento em tecnologia é importante pensar com uma visão de longo prazo. O cenário atual (2020) é bem diferente de quando começamos a falar da introdução destes recursos tecnológicos no setor, há aproximadamente 5 anos. Uma pesquisa realizada em setembro de 2019 pela Panorama Mobile Time/Opinion Box mostrou que 17% dos brasileiros que têm smartphones já experimentaram a funcionalidade de pagamento por aproximação .

Esse número tende a crescer cada vez mais rápido. O pagamento com smartphone por aproximação está em alta. O surgimento de diversos bancos digitais no Brasil é uma tendência que fortalece a adesão da população à novas tecnologias de pagamento. Aos poucos a barreira cultural e a insegurança vão se quebrando, impulsionados pelo atrativo da facilidade e agilidade na hora de pagar. Mas o smartphone não está sozinho na lista das novas modalidades de pagamento.

Quanto mais flexível, mais atraente

  • Pagamento com smartphone

Essa é a solução mais versátil e talvez a mais rápida de ser implantada. Primeiramente porque os usuários já têm seu próprio aparelho, sendo necessário apenas fazer o download do aplicativo e criar uma conta virtual. Isso significa eliminar do processo barreiras físicas. Além disso, a atratividade dos aplicativos do transporte aumenta com a oferta de um mix de serviços que vão além do pagamento. Funcionalidade relacionadas à informações da rota em tempo real, ou até mesmo acesso da rede Wi-Fi dentro do veículo, reforçam a interação do usuário na experiência de usar o transporte.

  • Cartão de crédito e débito EMV

A entrada desta modalidade de pagamento representa um passo para a abertura do acesso ao sistema de transporte. Além de atender os passageiros tradicionais que usualmente compram crédito e recarregam seus cartões, o EMV traz para o sistema pessoas que são usuárias ocasionais, como por exemplo, turistas a nível global. Uma solução muito mais simples do ponto de vista do usuário, já que ele não precisa fazer download de um aplicativo específico, nem se descolar para um ponto de venda físico ou até mesmo se cadastrar no sistema para acessar o transporte. É a famosa campanha das bandeiras que incentivam o uso dessa modalidade: encostou, passou. Muito usada em países de primeiro mundo, essa modalidade vem se fortalecendo no Brasil.

  • Wearables, as tecnologias vestíveis

Os wearables também precisam ser observados como uma alternativa atraente para parte do público do setor. A oferta de pulseiras e relógios com esta função vem aumentando, assim como o volume de adeptos. Entre os atrativos destaca-se a percepção de agilidade, e o fato de não depender diretamente da manipulação do celular na hora do pagar.

Enfim, todas as opções de pagamento de tarifas mencionadas aqui geram benefício para a operação e para os usuários e não devem ser analisados de forma isolada. Vale reforçar que o futuro do pagamento é fortemente baseado em integrações, seja multimodal ou multicanal.

 

E qual é o principal desafio para implementar meios de pagamento mais eficazes?

Um dos principais desafios é aculturar as gerações mais antigas, ou seja, mostrar os benefícios da inovação através as facilidades no dia a dia, assim como demonstrar que as suas informações estarão seguras.

Afina, a transformação digital tem como base a tecnologia, mas ela é, acima de tudo, uma transformação humana.

É difícil imaginar que o setor de transporte público fique preso a práticas antigas com o contexto digital que estamos inseridos. É exatamente neste ponto que a inovação chega, visando atender às necessidades dos usuários de maneira simples, barata e integrada. A transformação da mobilidade urbana tem o objetivo de movimentar toda a cadeia positivamente e entregar os melhores serviços ao consumidor final.

 

Brasil