Autorização em segundo nível no serviço de saúde

O segmento de saúde suplementar possui características muito específicas. Uma delas é que a prestação de serviço ocorre em diversos pontos de atendimento. Por essa razão, o uso da biometria facial neste setor também precisa atender requisitos especiais. Para garantir que a autorização em segundo nível de forma transparente.

 

Autorização em segundo nível segura e eficiente

Se a “industria da saúde” fosse uma fábrica de linha de produção, seria como um modelo em que a maior parte dos itens que compõe o produto fossem produzidos fora da fábrica. Afinal, em muitos casos, os atendimentos aos beneficiários acontece em um prestador/cooperado, ou seja, longe da operadora.

Para apoio a estes cooperados/prestadores, disponibilizamos uma funcionalidade que permite a Central de Atendimento da operadora apoiar o prestador.

Por ter sido construída por profissionais que tem vivência no segmento de saúde, a solução de biometria facial Oneself, é voltada para a área de auditoria e operações, permitindo a realização da análise de possíveis fraudes por meio da inspeção visual online. Desta forma, caso ocorra uma inconsistência, a operadora pode avaliar o atendimento em tempo real. Resolvendo um problema enquanto ele é pequeno e simples.

Como funciona a integração entre prestador e operador na plataforma

Após o não reconhecimento do beneficiário, a solução permite que a operadora faça o bloqueio imediato do atendimento, ou caso seja necessário, solicitar a autorização à Central responsável pela confirmação. Através da plataforma, a Central tem acesso à foto de cadastro e também à foto coletada durante o atendimento. Revisando e decidindo com base nas imagens a continuidade ou não do processo.

Poderíamos comparar esta situação com o que acontece nos grandes jogos de futebol, quando é possível reavaliar uma decisão do Arbitro, pelo VAR*, para saber se VarLeu ou não. A transparência deixa o processo muito mais seguro.

*Árbitro assistente de vídeo. O árbitro assistente de vídeo VAR – do inglês Video Assistant Referee –  é um árbitro assistente de futebol, que analisa as decisões tomadas pelo árbitro principal com a utilização de imagens de vídeo e de auscultadores para comunicação.

Por que usar a biometria facial

O Oneself é uma solução especialmente desenhada para permitir as Operadoras de Planos de Saúde acompanhar e controlar a ocorrência de fraudes, onde há a falsificação de identidade. Ou seja, combater o famoso “empréstimo de carteirinha”, onde um fraudador usa a credencial de um cliente como se fosse este, causando prejuízo à operadora. Sem contar com o risco de inserção de dados incorretos no prontuário do cliente. Resumindo, uma solução que pode evitar prejuízo e aumentar a segurança na ponta, tanto da operadora como da prestadora e do próprio beneficiário.

 

Brasil