27/07/2018 Transporte

Controle de fraudes no transporte com biometria facial

É possível acabar com as fraudes definitivamente? Esta é uma das perguntas que escutamos de nossos clientes antes mesmo da implantação da biometria facial. Sim, a tecnologia é poderosa, mas neste artigo vamos mostrar que o controle de fraudes no transporte vai além da implantação da biometria facial.

São muitas as peculiaridades envolvidas em um ecossistema onde existe fraude com cartões de benefício tarifário. Desde quando começamos a pesquisar e a desenvolver nossa solução nos deparamos com um universo de variáveis complexas. Algumas delas são inerentes ao negócio dos nossos clientes, como por exemplo, as legislações que  colocam “goela a baixo” novos tipos de benefícios. Como resultado, a base de clientes e as chances de fraude aumentam. Outras vêm de um ambiente macro, como é o caso da flutuação da economia e o aumento do desemprego. Fatores como os citados acima impactam diretamente na gestão do uso dos benefícios. Por isso, falamos que o processo de gestão da fraude tende a ser sempre desafiador e dinâmico. Trata-se de um processo vivo!

Biometria facial na prática

A experiência acumulada em mais de 60 projetos de biometria facial tem nos mostrado outros fatores de influência e comportamentos típicos que se somam a esta equação. Um deles é a queda no uso dos benefícios no início da implantação. Isso acontece porque ao saber que estão sendo monitorados, muitos fraudadores abandonam a estratégia antes mesmo de ser pego pelo sistema. O que nos leva a outro aspecto relacionado ao passageiro, o comportamento de uso analisado por trajetos, linhas e horários também muda. O que também pode estar relacionada à fraude.

Vamos exemplificar o que falamos acima com o resultado de um estudo de caso na base de clientes da Empresa 1. Este estudo fez uma leitura de dados em dois períodos distintos: 8 meses antes, e 8 meses depois da implantação do Sigom Vision, nossa solução de biometria facial para o transporte público.

>>> Queda de 18% do uso de benefícios após a implantação da biometria.

>>> Dos 82% de beneficiários que permaneceram utilizando o sistema:

  • 10% foram identificados por fraude
  • 18% manteve o padrão de uso dos cartões
  • 54% dos usuários mudaram o comportamento

Onde queremos chegar com estas informações: enquanto houver benefícios na praça será necessário monitorar o uso de forma efetiva. Certamente o volume operacional de imagens para inspeção no início pode ser alto. Entretanto, este volume tende a reduzir muito. Mesmo assim, é possível observar novos picos como reflexo de novos entrantes no sistema. E até mesmo novas tentativas de fraude. Ou seja, a gestão de benefícios para combater a fraude é um processo permanente.

Mas isso quer dizer que não vale a pena? Pelo contrário, claro que vale! Os resultados podem ser surpreendentes, desde que o monitoramento seja constante.

Diferenciais da Biometria Facial inteligente

Na solução da Empresa 1 parte deste monitoramento é feito automaticamente pelo próprio software. O Sigom Vision tem algoritmos que agregam inteligência capaz de estudar o comportamento de uso dos benefícios e acompanhar a evolução das fotos dos usuários. Já a outra parte, está diretamente relacionada com o processo operacional de inspeção e o bloqueio de cartões. Ao processar os inputs e informações geradas no dia a dia, o sistema aumenta a sua capacidade e eficiência, permitindo desta forma que os picos da curva de cartões não impactem na estabilidade do sistema.

Se com uma solução eficiente já existem as tentativas de burlar o sistema, imaginem como era antes da era de biometria facial no transporte público?!

Créditos: A Biometria Facial aplicada ao combate à fraude é uma das áreas de expertise da Empresa 1. Atualmente a empresa processa e faz a comparação de mais de 218 milhões de imagens por mês. A solução, que nasceu para atender uma demanda do segmento de transporte público, desde o último ano passou também a ser usada para verificação de elegibilidade dos usuários de operadoras de saúde.

Resultados

Veja a seguir reportagens que mostram resultados de algumas cidades que já usam a tecnologia.

Uberlândia

Florianópolis

Vitória

Brasil